Nos dias atuais, a informação é sem dúvida um dos bens mais preciosos e ter acesso a ela é parte do que faz um ser humano evoluir e expandir seus horizontes. Com a internet, o número de fontes de informação disponíveis só tem aumentado, fazendo com que basicamente qualquer assunto esteja retratado em algum lugar da rede. Porém, infelizmente, nem todos têm acesso a esse conteúdo, pois, por mais que os dispositivos conectados à internet estejam cada vez mais comuns, o acesso à pesquisa por informação ainda não é algo muito convidativo, principalmente para aqueles que não têm costume algum com o ambiente virtual. Entretanto, qual o caminho para a democratização do acesso à informação?

Hoje falaremos um pouco sobre como a web 3.0 pode ajudar nesse processo, principalmente para aqueles que têm dificuldades em interagir com o ambiente virtual. 

Web 3.0 – a democratização do acesso à informação

Primeiramente, precisamos entender um pouco mais sobre web 3.0 para então entendermos como as mudanças causadas por ela podem interferir na democratização do acesso à informação. 

Como já abordado em alguns artigos do nosso blog, a web 3.0 conta com as máquinas se unindo aos usuários para produzir conteúdo e tomar ações. Assim, as pesquisas na web poderão trazer muito mais informações úteis, relacionadas àquilo que o usuário está buscando. Iremos mostrar alguns exemplos nos tópicos seguintes para esclarecer melhor o assunto. 

Pesquisas antigamente

Algum tempo atrás, um dos dramas da vida de um estudante era encontrar informações a partir de uma pesquisa no Google, por exemplo. Caso quiséssemos saber informações úteis sobre o responsável pelo descobrimento do Brasil, precisaríamos pesquisar algo como “quem descobriu o Brasil” e o resultado seria uma grande coluna de links levando para sites que tivessem algo relacionado às palavras-chave da pesquisa. Então, ao entrar em um desses links, ainda precisaríamos ler todo o conteúdo dele para podermos extrair as informações desejadas, como o nome do indivíduo. 

Pesquisas atualmente

pesquisa no Google antigamente

Na imagem acima, podemos ver o resultado atual de uma pesquisa como “Quem descobriu o Brasil?”, onde o resultado nos traz em evidência a resposta exata da nossa pergunta: “Pedro Álvares Cabral”, além de algumas imagens do indivíduo. Isso é possível e frequente graças à web 3.0, que facilita a busca pelos resultados que realmente nos interessam.

Pesquisas futuramente

A ideia é que, com o avanço da tecnologia, pesquisas que nos dão como resultado aquilo que realmente buscamos se tornem cada vez mais comuns, a ponto de buscadores como o Google se tornarem verdadeiros assistentes virtuais, como de fato já acontece em muitos casos, tendo em vista que não só a Google como também outras empresas possuem suas versões de assistentes virtuais. 

Mais exemplos atuais

Além do demonstrado acima, podemos encontrar outros exemplos de pesquisas no Google que nos trazem informações realmente relevantes relacionadas àquilo que estamos pesquisando.

Ao pesquisarmos o código hexadecimal de uma cor, além da cor e informações sobre ela, podemos ver uma ferramenta de controle de cores:

como funciona a pesquisa no Google

Pesquisando “Barcelona”, dois exemplos podem ser notados. À esquerda, há um painel com informações sobre o desempenho do time e notícias. Além disso, podemos acompanhar em tempo real o desenrolar de uma partida, com placar e até mesmo um relógio mostrando o tempo de jogo. À direita, nota-se um outro painel no qual é possível ver informações sobre a história do time, seu escudo e outros pontos importantes.

Pesquisando “Campo minado”, além do painel com informações sobre o jogo, também podemos ver um painel no qual podemos de fato jogar o jogo pesquisado.

democratização do acesso à informação

Google Imagens

A necessidade dos usuários por informações relevantes fez com que o Google adicionasse uma ferramenta extremamente importante ao seu motor de busca: o Google Imagens.

O Google Imagens é um exemplo relativamente antigo de como informações relevantes são importantes no resultado de uma pesquisa. A ferramenta nasceu em 2001, após os desenvolvedores se depararem com a consulta de pesquisa mais volumosa que havia ocorrido até então: Jennifer Lopez em seu vestido verde Versace. A atriz havia usado o vestido na cerimônia do 42º Grammy Awards, em 23 de fevereiro de 2000, e isso fez com que inúmeros usuários buscassem pelo assunto. Enquanto o buscador do Google retornava links a partir da pesquisa, o que os usuários realmente desejavam era deixado de fora: a imagem da atriz usando o vestido. A partir disso, tendo em vista a necessidade dos usuários, a Google criou sua ferramenta de busca de imagens.

Conclusão – Democratização do acesso à informação

Levando em conta o que foi visto, podemos esperar por um ambiente virtual mais amigável para qualquer pessoa, desde crianças até idosos. Com a facilitação da pesquisa, pessoas de qualquer nível de instrução poderão ter acesso às informações que estão buscando de forma mais clara. 

Quem passou muito tempo na internet nas últimas décadas deve ter percebido que o que realmente importa em uma pesquisa são as palavras-chave pesquisadas. Por exemplo: “Brasil descobrimento” ao invés de “Quem descobriu o Brasil?” Entretanto, isso está cada vez mais próximo de mudar, já que a inteligência artificial está evoluindo para entender melhor as perguntas realizadas em linguagem natural. Assim, qualquer um com acesso à internet poderá ter acesso às informações procuradas por meio de simples perguntas aos buscadores, como se estivesse perguntando a um professor.

Leia também: Internet Tátil

Quem é a Aquarela Analytics?

A Aquarela Analytics é pioneira e referência nacional na aplicação de Inteligência Artificial na indústria e em grandes empresas. Por meio da plataforma Vortx e da metodolgia DCIM (Download e-book gratuito), atende clientes importantes, como: Embraer (aeroespacial), Scania e Grupo Randon (automotivo), SolarBR Coca-Cola (alimentício), Hospital das Clínicas (saúde), NTS-Brasil (óleo e gás), Votorantim (energia), dentre outros. Fique atento às novas publicações diárias da Aquarela Analytics no Linkedin e assinando a nossa Newsletter mensal! 

 Autor

Share via
Send this to a friend