Data Analytics e o impeachment de 2016: Uma análise sem partido

Data Analytics e o impeachment de 2016: Uma análise sem partido

Neste post vamos mostrar que tipos de insights os processos de mineração de dados pode nos fornecer a partir dos dados da votação do processo de impeachment da presidente Dilma no dia 17 de abril de 2016.

Estudo da natureza dos dados e limpeza

Estudar a natureza dos dados é muito importante para a escolha das possíveis abordagens de análise. Nesta etapa utilizamos a estatística, que rapidamente traz as grandezas, distâncias e limitações do objeto de estudo. A estatística nos ajuda na limpeza da base informacional (que em muitos casos apresenta dados faltantes, erros de digitação e assim por diante).

Imagem recortada da planilha.

Assim temos:

Partidos com mais e menos membros votantes:

  • PMDB = 66 votantes
  • PMB = 1 votante

Estados com mais e menos membros votantes:

  • São Paulo = 70 votantes
  • Tocantins = 8 votantes

Números totais de votos:

SIMNÃOAUSENTEABSTENÇÃO
36713727

Gênero dos votantes:

  • Masculino = 462
  • Feminino = 51

Aplicação de técnicas de mineração

Análise de textos

Como todos bem lembramos, cada deputado teve a oportunidade de justificar seu voto, e destes discursos podemos retirar alguns insights.

Na área de mineração existem vários estudos que buscam o sentimento do falante pela combinação das palavras usadas. Aqui vamos utilizar apenas uma contagem proporcional de cada uma das palavras para entender o que pesou mais ou menos no vocabulário dos deputados. Posteriormente, esses valores são excluídos das análises de correlações.

Análise por Fernando Severo

Análise de agrupamentos (clustering ou segmentação)

Para entender qual é a força exercida pelos grupos votantes e como eles se caracterizam, utilizamos a técnica de clustering, que resultou na análise abaixo, onde é possível ver que existem 3 grupos distintos. Divididos da seguinte forma:

  • Grupo 0 Azul = 310 votos – principal força PMDB
  • Grupo 1 Verde = 57 votos – principal força PSDB
  • Grupo 2 Vermelho = 146 votos – principal força PT

Uma das grandes vantagens da análise computacional de segmentos é conseguir sintetizar a complexidade do ambiente sem inclinações ou segundas intenções, pois ele apenas revela ou decodifica a realidade.

Análise preditiva de votos

Agora, aplicamos algoritmos que nos ajudam a fazer predições sobre fatos que já ocorreram. Na imagem abaixo temos a predição de novos votos de cada partido com uma precisão de aproximadamente 86,35%, predizendo com precisão 367 votos sim,  76 não e predizendo erroneamente 70 votos.

Pesos das variáveis

Agora imagine o seguinte: Você quer viajar. Na sua análise mental você começa a pesar fatores como:

  • O estado do carro;
  • A previsão do tempo;
  • O preço da gasolina;
  • A distância a ser viajada;
  • A quantidade de bagagem.

Então, se você colocasse tudo isso numa régua de importância, qual é o fator que mais pesaria e que menos pesaria na sua decisão?

Seguindo esse pensamento, a análise abaixo mostra o que mais pesou para votos = SIM e votos = Não. Vale notar que os partidos políticos pesaram mais do que os estados dos deputados que estão no meio da régua.

Conclusões e Limitações:

Buscamos ser o mais breve possível utilizando apenas algumas técnicas de mineração que consideramos importantes para a natureza dos dados. Pense que os dados são como a farinha para um pão.

Como analistas, podemos fazer diversos tipos de análise, mas se a base não for boa o resultado será ruim. Simples assim.

Além disso, buscamos abstrair o máximo da complexidade matemática das abordagens, e assim esperamos que este post possa ajudar a estender a compreensão do potencial da mineração de dados para descriptografar a realidade, melhorando significativamente a saúde, educação e a gestão do país de um modo geral.

Por exemplo: Encontrando grupos de pacientes e alunos com determinadas tendências, prevendo doenças e epidemias, descobrindo as influências predominantes de uma série de comportamentos sociais, e assim por diante.

Blitz analytics

Mediante a crescente demanda de projetos rápidos usando Advanced Analytics e IA, que gerem mudanças imediatas em diversos níveis dentro das empresas, nós criamos o conceito de Blitz Analytics, usando a metodologia DCIM, aliada ao poder da inteligência artificial da Plataforma Aquarela VORTX.

Executada por nossos cientistas de dados sobre os dados de nossos clientes, a Blitz Analytics entrega um sistema de predição ou prescrição que atendem os requisitos do negócio de forma rápida e assertiva.

Quem é a Aquarela Analytics?

A Aquarela Analytics é pioneira e referência nacional na aplicação de Inteligência Artificial na indústria e em grandes empresas. Por meio da plataforma Vortx e da metodolgia DCIM (Download e-book gratuito), atende clientes importantes, como: Embraer (aeroespacial), Scania e Grupo Randon (automotivo), SolarBR Coca-Cola (alimentício), Hospital das Clínicas (saúde), NTS-Brasil (óleo e gás), Votorantim (energia), dentre outros. Fique atento às novas publicações diárias da Aquarela Analytics no Linkedin e assinando a nossa Newsletter mensal! 

Autores

Como a estratégia de clusterização em Big Data otimiza negócios?

Como a estratégia de clusterização em Big Data otimiza negócios?

O conceito de clusterização, também chamado de clustering, agrupamentos, por análise de grupos é um tema recorrente na área de aprendizado de máquina e inteligência artificial, por isso criamos um vídeo tutorial que, em síntese, demonstra um problema de forma visual, um caso real e algumas conclusões.

Descrição do vídeo em português

Para facilitar a absorção do conceito, utilizamos um exemplo bastante visual. Assim, imagine que você tem em uma fábrica têxtil e quer produzir o maior número de bandeiras de todo os países conhecidos, algo em torno de 200 tipos com cores e formatos diferentes.

Interessa saber quais quais os padrões de cores e formatos para otimizar e organizar a linha de produção? Essa é a ideia, reduzir custos e tempo, mantendo qualidade e volume.

Figura 1. Representação dos dados brutos, sem detecção de padrões.

Um bom algoritmo de agrupamento deve ser capaz de identificar padrões nos dados como nós humanos conseguimos identificar visualmente bandeiras com características comuns, por terem os mesmos padrões, como são as bandeiras da Itália, Irlanda e México, no exemplo abaixo.

Podem existir padrões de cores, forma, figuras, etc. Um fator que diferencia algoritmos de clusterização para os de classificação é que estes não tem a informação do padrão junto com os dados, ou seja, ele deve descobrir automaticamente.

Figura 2 – Cluster zero (0) composto pelas bandeiras Itália, Irlanda e México.

Neste contexto, tão importante quanto identificar os grupos com indivíduos semelhantes são as identificações dos indivíduos que não se assemelham com nenhum outro. Os chamados outliers, que são as exceções, elementos únicos que não compartilham características com outros elementos.

Figura 3 – Cluster seis (6) composto pela bandeira do Nepal. Uma exceção.

Por fim, em um resultado final de clusterização, temos um número de 8 grupos formados pelas bandeiras que apresentam características semelhantes e indivíduos isolados, por serem ouliers.

Figura 4 – Clusters formados ao final do processamento.

Um dos fatores mais importantes de processamento de grupos é número de grupos onde os elementos serão alocados. Em muitos casos, temos observado resultados diferentes quando aplicamos os mesmos dados, nas mesmas condições de processamento e parametrização, em diferentes algoritmos.

sso é muito importante. Veja o que poderia ser o resultado de uma clusterização imprecisa.

bandeiras4

Figura 5: Clusters resultantes de um agrupamento impreciso.

A questão prática é:

Você investiria o seu dinheiro nisso?

Provavelmente não, e resolver esse problema é o desafio dos cientistas de dados. Na prática, já aplicamos em diversos segmentos, em um deles identificamos padrões da características dos pacientes que mais faltam às consultas médicas, gerando custos e ingerência em consultórios, clínicas e hospitais.

O resultado foi um surpreendente grupo com 50% dos dados analisados, o que merece realmente uma política específica para redução dos custos e impactos de operação.

O que pensariam os clientes que ficaram sem horário para consulta? Como não dar razão aos diretores financeiros destas organizações?

 Outras possíveis aplicações estão no post “14 setores para aplicação de Big Data e dados necessários para as análises”. no blog da Aquarela.

Conclusões

  • Nossa visão é muito poderosa para classificação de imagens como no caso das bandeiras.
  • É humanamente impossível fazer análises e correlações lógicas dos números de um grande banco de dados, para isso foram criados os algoritmos de clusterização.
  • A acurácia (exatidão) dos resultados de clusterização são fundamentais para a tomada de decisão de investimentos.
  • Diversos setores podem se beneficiar dessa abordagem de gestão.

Quem é a Aquarela Analytics?

A Aquarela Analytics é pioneira e referência nacional na aplicação de Inteligência Artificial na indústria e em grandes empresas. Por meio da plataforma Vortx e da metodolgia DCIM (Download e-book gratuito), atende clientes importantes, como: Embraer (aeroespacial), Scania e Grupo Randon (automotivo), SolarBR Coca-Cola (alimentício), Hospital das Clínicas (saúde), NTS-Brasil (óleo e gás), Votorantim (energia), dentre outros. Fique atento às novas publicações diárias da Aquarela Analytics no Linkedin e assinando a nossa Newsletter mensal! 

Autores