Uma das grandes tendências da TI para os próximos anos, em linha com a transformação digital, é a alavancagem ou otimização financeira gerada por processos inteligentes de precificação (Precificação dinâmica: o que é e quais são seus benefícios?) que podem atuar tanto no aumento das margens da receita como no custo. 

Entre esse cenário e a realidade atual dos negócios e dos sistemas de informação está o papel do diretor de tecnologia da informação. Assim, pensando em auxiliar o gestor de TI, elencamos os principais aspectos a serem considerados ao executar projetos de precificação dinâmica. Confira.

01 – Integração dos sistemas

Raramente haverá um projeto de precificação dinâmica sendo criado do zero. Isso quer dizer que teremos sistemas legados para integrar e modificar. 

De um modo bem simples, a precificação é a resultante de diversas camadas de informação conectadas até atribuir um preço ótimo. Algumas camadas podem estar no sistema A, outras no sistema B e assim por diante. Portanto, é importante uma integração conceitual de como se dará a orquestração das camadas. 

Já do ponto de vista de operacionalização das conexões e integrações, a recomendação é que se busque coerência na decisão sobre os protocolos de comunicação do seu stack tecnológico. A adoção de uma arquitetura de microsserviços permite não só fatiar o problema em camadas administráveis como também terceirizar parte do trabalho com entidades especializadas em alguma das camadas de precificação. 

Leia também: Como escolher o melhor fornecedor de Data Analytics.

02 – Segurança dos sistemas

Uma preocupação frequente da TI no processo de precificação dinâmica é a segurança dos sistemas.

A precificação atua no coração do negócio, levantando toda a estrutura de custos até informações de mercado, as quais passam a ter um valor imenso, em alguns casos maior até do que o ganho com a melhoria das margens das negociações. 

O valor do banco de dados impacta diretamente na necessidade de mecanismos robustos de segurança. Portanto, fique atento à padronização dos protocolos, adote ferramentas com alto nível de segurança (hoje se torna mais simples este tipo de contratação pela evolução dos provedores de nuvem) e, claro, use certificados digitais e criptografia de ponta a ponta no processo. 

03 – Estabilidade dos sistemas

Durante a construção do sistema, faça um levantamento das regras mínimas de preço que o sistema deve respeitar. Essas regras estão geralmente bem claras na visão dos gestores do negócio, por isso precisam ser bem explicitadas para os times técnicos. 

Antes da virada da chave, tenha certeza de que os logs do sistema estão bem capturados e que as respostas da precificação possam ser desacopladas da inteligência artificial e do módulo de precificação sem parar o sistema de vendas. Além disso, execute testes de carga simulados para ver se o novo sistema realmente dará conta da demanda quando estiver em produção. 

A estabilidade do sistema impacta na qualidade da precificação. Por isso, recomenda-se que o sistema de precificação dinâmica seja o mais estável possível. Assim, evita-se o efeito de sistemas vagalumes, ou seja, os que ligam e desligam aleatoriamente. Se isso acontecer, haverá um impacto significativo nas estatísticas do processo pela quebra da série histórica dos dados ou geração de vieses indesejados nos dados. Dados com viés geram erros no treinamento de máquina e perpetuam ações não desejadas, ou seja, geram preços não otimizados.

Conclusões – Preocupações da TI em projetos de precificação dinâmica

O gestor de TI

O desafio tecnológico que separa um modelo de precificação estático de um modelo mais dinâmico e inteligente repousa sobre os ombros dos gestores de tecnologia da informação. Portanto, suas percepções técnicas, arquiteturais, além do apoio do time de gestão, farão a diferença na orquestração dos projetos no que tange à estabilidade, segurança e qualidade das recomendações de base estatística.

É importante se ater ao fato de que os projetos de precificação sempre envolvem sistemas legados e integração de sistemas. Isso acarreta na exponencialização da complexidade dos esforços, no tempo de projeto e no número de profissionais envolvidos. No final do dia, a conta de uma estratégia de precificação mais dinâmica precisa superar o custo de implantação da inovação.

Gostou do nosso artigo sobre as principais preocupações da TI no processo de precificação dinâmica? Então, deixe o seu comentário. 

Quem é a Aquarela Analytics?

A Aquarela Analytics é pioneira e referência nacional na aplicação de Inteligência Artificial na indústria e em grandes empresas. Por meio da plataforma Vortx e da metodologia DCIM (Download e-book gratuito), atende clientes importantes, como: Embraer (aeroespacial), Grupo Randon (automotivo), Solar Br Coca-Cola (alimentício), Hospital das Clínicas (saúde), NTS-Brasil (óleo e gás), Votorantim (energia), dentre outros.

Fique atento às novas publicações diárias da Aquarela Analytics no Linkedin e assinando a nossa Newsletter mensal! 

Autores:

Autor