Não é novidade para ninguém a discrepância entre a quantidade de homens e de mulheres na área da tecnologia. A notícia boa é que estão acontecendo muitos movimentos para apoiar e ensinar meninas e mulheres a programarem, como o Pyladies, Rladies, Include.gurias, Manas Digitais, Tech Power e muitos outros. E quem pode participar desse grupo? Todas que estiverem com vontade de aprender. Mesmo que você não tenha nenhum conhecimento na área, não precisa ter medo, esses ambientes são sempre acolhedores. Você só precisa ter paciência e persistência.

“Independente da sua trajetória acadêmica, se você deseja aprender a programar, tenha paciência e persistência. Não tenha medo de errar e de começar de novo, porque depois de passar a curva de aprendizado, você abrirá as oportunidades dentro da sua profissão ou até mesmo migrará para outra área de atuação”.

Daniela Zanesco – People na Aquarela Advanced Analytics

Por uma questão cultural, muitas de nós fomos criadas para fazer tudo perfeito, com pouco espaço para nos permitir errar, então, quando vamos para a programação, temos que aprender a lidar com o erro (tentativa e erro). Às vezes, dedicamos muito tempo para conseguir escrever apenas algumas linhas. 

Historicamente, o mercado tecnológico sempre foi desafiador para as mulheres. Há pouco tempo, por exemplo, éramos incentivadas a procurar uma profissão nas áreas humanas e biológicas, enquanto a área de exatas era indicada aos homens. Entretanto, os desafios do setor nunca impediram grandes conquistas, como veremos abaixo.

Mulheres que fizeram história na tecnologia

Apesar do mercado de tecnologia ter sido constituído predominantemente por homens, muitas mulheres foram essenciais para o desenvolvimento da área e fizeram história. Pensando nisso, selecionamos três mulheres que revolucionaram a tecnologia e que, mesmo depois de tanto tempo, continuam nos influenciando e inspirando. Confira:

Ada Lovelace

É impossível falar de tecnologia e não citar Ada Lovelace. Ela foi a responsável pela criação do primeiro algoritmo a ser processado por uma máquina, tornando-se a primeira programadora da história.

Todos os anos, entre os dias 8 e 15 de outubro, é celebrado o Ada Lovelace Day, com a finalidade de encorajar e dar visibilidade à participação feminina na ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

Grace Hopper

Conhecida como a Rainha da Computação, Grace Hopper inventou o primeiro compilador para linguagem de programação, o que possibilitou a criação do COBOL, a primeira linguagem para bancos de dados comerciais. 

Falando em pioneirismo, a Rainha da Computação foi a primeira mulher a se formar na reconhecida Universidade de Yale, nos Estados Unidos, com um PhD em matemática, e a primeira almirante da Marinha dos EUA. Além disso, de acordo com historiadores, Grace inventou o termo “bug”, após identificar uma mariposa causando problemas dentro de uma máquina.

As garotas do ENIAC

Os primeiros computadores dependiam de pessoas e aparatos mecânicos para funcionarem, principalmente quando se tratava de cálculos mais complexos, como os da área militar. Assim, surgiram as garotas do ENIAC. 

Trabalhando em um supercomputador criado na Escola de Engenharia Moore, Betty Snyder, Marlyn Wescoff, Fran Bilas, Kay McNulty, Ruth Lichterman e Adele Goldstine fizeram história. As garotas do ENIAC eram as responsáveis pela configuração do ENIAC, dando a ele as instruções para realizar os cálculos necessários. Elas lidavam diariamente e de forma manual com milhares de interruptores e botões que ligavam um hardware de 80 toneladas.

Leia também: As 4 invenções preferidas do time Aquarela.

Mudanças no cenário

Mesmo que a passos lentos, o papel da mulher na tecnologia vem mudando. Até 2017, as mulheres correspondiam a apenas 10% das contratações na área de TI. Em 2020, esse número subiu para 12%. 

“Apesar de desafiador, é extremamente gratificante atuar na área de tecnologia e sentir que há espaço para fazer a diferença. É um caminho difícil, mas com prática, paciência e persistência é possível chegar lá.”

Caroline Zago – Cientista de dados na Aquarela Advanced Analytics

Nos grupos de mulheres na tecnologia do qual participamos, encontramos muitas mulheres das áreas humanas aprendendo a programar e analisar dados, seja pelo desejo de mudança de área de atuação ou pela vontade de expandir o conhecimento para potencializar as habilidades no trabalho. Colegas de RH, por exemplo, formadas em psicologia e administração, estão aprendendo a programar e analisar dados para melhorarem suas análises, controle de métricas e estarem ativas no People Analytics da empresa. 

E as mudanças não param por aí. Podemos observar mulheres conquistando posições de liderança no mercado tecnológico, como por exemplo Marissa Meyer, que ocupou cargos estratégicos no Google como cientista da computação e hoje alcançou a posição de CEO do Yahoo!. Ginni Rometty também conquistou uma posição de liderança na área da tecnologia, sendo CEO da IBM e a primeira mulher a ocupar essa cadeira na companhia. 

Em se tratando do setor tecnológico, nós, mulheres, ainda temos uma luta pela frente. Mas, quando conhecemos exemplos como estes que nos inspiram, de mulheres entre os executivos mais poderosos do Vale do Silício, temos a certeza de que um cenário mais positivo para o futuro das mulheres no mercado da tecnologia nos espera. 

Quem é a Aquarela Analytics?

A Aquarela Analytics é pioneira e referência nacional na aplicação de Inteligência Artificial na indústria e em grandes empresas. Por meio da plataforma Vortx e da metodologia DCIM (Download e-book gratuito), atende clientes importantes, como: Embraer (aeroespacial), Grupo Randon (automotivo), Solar Br Coca-Cola (alimentício), Hospital das Clínicas (saúde), NTS-Brasil (óleo e gás), Votorantim (energia), dentre outros.

Fique atento às novas publicações diárias da Aquarela Analytics no Linkedin e assinando a nossa Newsletter mensal! 

Autoras

Share via
Send this to a friend