O que é Computação em Nuvem?

O que é Computação em Nuvem?

A Computação em Nuvem ou Cloud Computing é a entrega sob demanda de poder computacional. Permitindo ao usuário final acessar uma grande quantidade de aplicações e serviços em qualquer lugar, independente de plataforma, bastando ter um terminal conectado à “Nuvem”.
A Nuvem é representada pela internet. Isto é, a infraestrutura de comunicação composta por um conjunto de hardwares, softwares, interfaces, redes de telecomunicações, dispositivos de controle e armazenamento que permitem a entrega da computação como um serviço.
Um ponto importante para o entendimento deste modelo de computação refere-se aos participantes da nuvem. São três grandes grupos: provedor de serviço, desenvolvedor e usuário. O provedor é responsável pela tarefa de disponibilizar, gerenciar e monitorar toda a infraestrutura de nuvem. Já o Desenvolvedor deve ser capaz de prover serviços para o usuário final, a partir da infraestrutura disponibilizada. Enquanto o usuário final é o consumidor que irá utilizar os recursos oferecidos pelo cloud computing.
A computação na nuvem representa um novo modelo de serviço capaz de fornecer todo o tipo de processamento, infraestrutura e armazenamento de dados exclusivamente através da internet.

Características da Computação em Nuvem

Com uma gama enorme de stacks tecnológicos, em que cada um tem sua importância no mundo da tecnologia. A computação em nuvem pode prover vários tipos de serviços que se adequam a essas tecnologias, dentre outras funcionalidades e particularidades.

Suas principais particularidades quanto a entrega de uma computação em nuvem, são aspectos como: Elasticidade e Escalonamento, Self-Service(Auto-atendimento), Faturamento e Medição por uso, Amplo acesso à rede e suas disponibilidades, Customização de recursos.

Elasticidade e Escalonamento

Na computação em nuvem é possível aumentar e diminuir a capacidade de serviços de maneira elástica e automatizada. Assim, proporcionando ao administrador menor complexidade na garantia de qualidade e estabilidade do produto.

Self-Service(Auto-atendimento) 

Os consumidores dos serviços da computação em nuvem esperam adquirir recursos computacionais de acordo com suas necessidades e da forma instantânea para o uso. Para suportar este tipo  de expectativa, as Clouds Computing  devem permitir o acesso em auto-atendimento. Assim, os usuários podem solicitar, personalizar, pagar e usar os serviços desejados sem nenhuma intervenção ou indisponibilidade.

Faturamento e Medição por uso

Na computação em nuvem, utiliza-se um modelo de despesa variável, em que pode ser controlada facilmente. Em vez de investir substancialmente em datacenters e servidores antes de saber sua utilização, você pode pagar somente quando consome recursos e somente pela quantidade consumida. Assim, o usuário da cloud economiza dinheiro em tecnologia. A computação em nuvem também permite a utilização de novos aplicativos com o espaço necessário em minutos em vez de semanas ou dias. Permitindo a concentração nos principais objetivos da empresa.

Amplo acesso à rede

Os recursos devem estar disponíveis através da rede e acessados através de mecanismos padrões que permitam sua utilização por plataformas heterogêneas, como smartphones, laptops, PDAs, entre outros. A Cloud proporciona uma facilidade na disponibilidade das aplicações globalmente, oferecendo uma latência menor e melhor experiência aos clientes com facilidade e custo mínimo.

Customização

No atendimento a múltiplos usuários verifica-se a grande disparidade entre a necessidade dos mesmos, tornando essencial a capacidade de personalização dos recursos da nuvem.

Camadas de arquitetura e tipos de nuvem

Os serviços de computação na nuvem são divididos em três classes. Sua separadação leva em consideração o nível de abstração do recurso provido e o modelo de serviço do provedor. O nível de abstração nada mais é que a camada de arquitetura em que os serviços das camadas superiores são compostas pelo serviços das camada inferiores. Essas camadas/modelos são nomeadas como: Infraestrutura como Serviço (IaaS), Plataforma como serviço (PaaS) e Software como serviço (SaaS).

Infraestrutura como serviço (IaaS)

Os serviços nesta categoria são os componentes básicos da TI em nuvem e, geralmente, fornecem acesso (virtual ou no hardware dedicado) a recursos de rede e computadores, bem como espaço para o armazenamento de dados. A IaaS oferece o mais alto nível de flexibilidade e controle de gerenciamento sobre seus recursos de TI.

Plataforma como serviço (PaaS)

Os serviços nessa categoria reduzem a necessidade de gerenciar a infraestrutura subjacente (geralmente hardware e sistemas operacionais) e permitem que apenas se concentre na implantação e no gerenciamento das aplicações.

Software como serviço (SaaS)

Os serviços nesta categoria fornecem um produto completo que o provedor de serviços executa e gerencia. Na maioria dos casos, o software como serviço refere-se a aplicativos de usuário final. Com uma oferta de SaaS, não é necessário pensar na manutenção do serviço ou no gerenciamento da infraestrutura subjacente. É necessário pensar apenas em como planejar e usar esse software específico.

Camadas de arquitetura e tipos de computação em nuvem
Camadas de arquitetura


Vantagens da Computação em Nuvem

Além das vantagens já citadas, também há a possibilidade de acesso aos dados e aplicativos de qualquer lugar, desde que haja conexão de qualidade com a internet, trazendo assim mobilidade e flexibilidade aos usuários.

Outra vantagem é no modelo de pagamento, pois possibilita ao usuário pagar somente pelo que utiliza dentro da cloud, evitando desperdício de recursos, o que também possibilita a escalabilidade. E assim, é possível ampliar a disponibilidade de recursos conforme o usuário verifica a necessidade. Também é fácil o compartilhamento de recursos e o ganho em confiabilidade dos serviços, já que as empresas que oferecem os serviços são avaliadas por reputação. Principalmente pela capacidade de manter os dados seguros através de cópias de segurança, criptografia e controle de acesso rigoroso.

Pontos de atenção para a adoção

Mas é sempre necessário incluir na balança suas desvantagens para que ao definir o uso ou até mesmo migrar para a cloud, a escolha traga benefícios conforme as necessidades. Existem desvantagens da computação em nuvem que devem ser avaliadas para seu processo de evolução e adoção, dentre elas estão: segurança, escalabilidade, interoperabilidade, confiabilidade e disponibilidade.

A segurança é o desafio mais visível, pois a informação que antes era armazenada localmente ficará localizada na nuvem em em algum local físico, mas que não se tem precisão de onde e nem que tipos de dados estão sendo armazenados junto a ela.

A escalabilidade é uma característica fundamental na computação em nuvem, pois as aplicações para uma nuvem precisam ser escaláveis (ou elásticas). Desta forma os recursos utilizados podem ser alterados conforme a demanda.

A confiabilidade está relacionada à frequência com que o sistema falha e qual o impacto de suas falhas (com perda de dados ou não). As aplicações desenvolvidas para a computação em nuvem devem ser confiáveis, ou seja, elas devem possuir uma arquitetura que permita que os dados permaneçam intactos mesmo que haja falhas em um ou mais servidores/máquinas virtuais sobre os quais essas aplicações estão executando.

A disponibilidade é uma grande preocupação, pois as ferramentas precisam de estabilidade para atender adequadamente os usuários. Por exemplo, quando servidores de e-mail ficam fora do ar, o usuário final fica sem ṕoder utilizar a ferramenta. Uma alternativa para solucionar esse tipode de problema é ter mais de um prestador de serviços de e-mails e com isso mais de uma nuvem se possível. Isso permitirá aos usuários acessarem seus serviços em outra nuvem enquanto uma está fora do ar. Com este conceito, o Multi-Clouds, podemos ter mais de um provedor de cloud distribuindo suas aplicações ou serviços tendo uma alta disponibilidade. 

Conclusão – Computação em Nuvem

Cada vez mais a computação na nuvem está presente em nosso cotidiano, não só para usuário doméstico, mais como na área empresarial, comercial e acadêmica. A utilização da computação em nuvem já está presente em tarefas comuns como: publicar uma foto na internet, comentar em um site de rede social, desenvolver um trabalho com um colega usando ferramentas de edição de texto em sites ou simplesmente enviar uma mensagem por correio eletrônico.

A nuvem representa uma camada conceitual que abstrai toda infraestrutura da plataforma computacional, deixando os serviços transparentes ao usuário, que é atendido como se os dados e programas estivessem em sua máquina local. Os benefícios obtidos com esta tecnologia tem sido expressivos, para grandes corporações, com um grande apelo econômico além da flexibilidade e dinamicidade proporcionada. E também para o usuário comum, que usufrui principalmente da mobilidade, integração e inteligência das aplicações.

O uso de computação em nuvem já é uma realidade que a cada dia vem se popularizando e gerando valor aos clientes. Adquirir nos dias de hoje a computação em nuvem é um passo enorme no que se diz respeito ao valor da Empresa como um todo. Pois como diz Christopher Little, executivo de software e um dos primeiros cronistas de DevOps: “Toda empresa é uma empresa de tecnologia, independente do negócio, em que pense estar. Um banco é apenas uma empresa de TI com licença bancária”.

Quem é a Aquarela Analytics?

A Aquarela Analytics é pioneira e referência nacional na aplicação de Inteligência Artificial na indústria e em grandes empresas. Por meio da plataforma Vortx e da metodolgia DCIM (Download e-book gratuito), atende clientes importantes, como: Embraer (aeroespacial), Scania e Grupo Randon (automotivo), SolarBR Coca-Cola (alimentício), Hospital das Clínicas (saúde), NTS-Brasil (óleo e gás), Votorantim (energia), dentre outros. Fique atento às novas publicações diárias da Aquarela Analytics no Linkedin e assinando a nossa Newsletter mensal! 

Autor